Essenciale – Coleção Verão 2013

UM CONTO DE MINAS…

O AMANHECER NA FAZENDA ERA ESPECIAL. A BRISA SEMPRE FRESCA SOPRAVA A DELICADEZA DA OCASIÃO. ENFIM CHEGARA O DIA DA QUERMESSE;

AS MULHERES SAIAM COM SUAS BATAS DE CHIFON E LONGAS SAIAS DE SEDA PURA, OU DESPONTAVAM EM FESTA COM VESTIDOS DE RENDAS FRANCESAS, DESTAS GUARDADAS COM ESMERO NOS BAÚS DE IMBUIA;

O ENCANTO VINHA DOS VOLUMES MAIS VARIADOS, TRANSPONDO PLISSADOS, FENDAS, PREGAS E BABADOS MÚLTIPLOS. UMA COLEÇÃO DE GRAVATARIA ESBANJAVA O MIX DE ESTAMPAS MIÚDAS, QUASE CONFUNDINDO O OLHAR DOS MAIS AFOITOS;

NUMA EQUAÇÃO QUASE PROFANA, GRAVATARIA DESVENDAM A CAMISARIA.

POR SOBRE OS VARAIS DO QUINTAL BANHAVAM AO SOL PÁLIDO DAQUELE AMANHECER OS VESTIDOS E KAFTANS, ORA COLORIDOS, ORA PINTADOS POR GRANDES MARGARIDAS, OU TAMBÉM EM LÂNGUIDAS CORES PURAS;

A OCASIÃO ERA FESTIVA, MAS INSPIRAVA-SE NO ROMÂNTICO E NA DEVOÇÃO AO FEMININO. CONTRARIANDO O PREDOMÍNIO BRANCO, SALPICAM O AMARELO IPÊ, O LARANJA CAPETA E O AZUL ANIL;

UM SONIDO LÍRICO VINHA DOS BOTÕES DE CRISTAL, E SE CONFUNDIA COM AS PASSADAS LARGAS E AFOITAS NAS TÁBUAS DO CASARÃO CENTENÁRIO. ACOMPANHANDO A SILHUETA SACRA SURGE O PIQUET E O GAZAR DE ALGODÃO QUE CASAM E SE ENCAIXAM;

ENFIM, TODAS PRONTAS, PERFUMADAS E ADORNADAS, SEGUEM EM UM GRANDE CORTEJO AO ENCONTRO DO VERAO 2013 DA MULHER ESSENCIALE.

Deixe um comentário